Harmonização de queijos e vinhos

Atualizado: 8 de jan. de 2021

Um dos encontros mais clássicos e agradáveis é uma tabua de queijos e vinho com amigos, não é mesmo?

Sempre que nos propormos a montar uma tabua ou somos convidados por um amigo para compartilhar, nos vem a cabeça qual vinho podemos harmonizar. Neste post você encontrará algumas dicas de quais vinhos podem deixar o seu encontro mais saboroso.

Para começar, vamos falar sobre os tipos de harmonização:


Por semelhança: Aqui o alimento e o vinho apresentam elementos da mesma família, tem peso, acidez e doçura que se equilibram. Exemplo: Que vinho combina com nhoque com molho gorgonzola e nozes? Eu iria em um belo Chardonnay barricado com boa acidez. O queijo confere peso ao prato e sugere um vinho mais estruturado. O Chardonnay segura a força dos acompanhamentos, lembrando ainda o lácteo do gorgonzola, a passagem por barrica pode nos proporcionar os aromas que nos lembram as nozes.

O importante aqui é que o vinho não atropele o alimento e o alimento não atropele o vinho.

Por contraste: A harmonização por contraste mostra que os extremos também podem fazer uma ótima parceria. Exemplos: Salgado com doce, acidez com gordura, etc.


Agora vamos ao que interessa, as dicas:


Queijo Brie e Camembert ou outros queijos de massa mole com mofo branco: Combinam bem com vinhos não muito frutados, um Sauvigon Blanc ou um Chenin Blanc. Um Chardonnay do novo mundo sem passagem por barrica também iria bem devido a sua acidez média. A crosta branca desses queijos criadas por fungos nos trazem uma sensação terrosa, lembrando cogumelos ou amêndoas.

Se formos de tinto, colocaria um belo Pinot Noir ou um Gamay (o da vinícola Capoani é excelente), pois também trazem traços terrosos e não sobressaem ao gosto do queijo e possuem acidez média.

Parmesão, Grana Padano e Provolone: Como os vinhos, os queijos duros podem passar um bom tempo maturando antes de ir ao mercado.

Esse tipo de queijo, de gosto mais potente, pedem vinhos mais encorpados. A sugestão é um Malbec argentino ou um Syrah Australiano ou Sul Africano.

Para esses queijos, a harmonização por contraste fica muito legal em minha opinião. O salgado do queijo combina muito bem com o dulçor do Vinho do Porto, por exemplo. Aqui a sugestão é um Fine Ruby da vinícola Graham's (uma das mais belas Cava de Porto, sugiro a visita).

Prato, Gruyére, Gouda e Cheddar: Considerados queijos semi duros, facilmente conhecidos como queijos de furinhos, são mais doces ao nosso paladar. Para harmonização, pedem vinhos mais leves, frutados e ácidos. Colocaria um Riesling (o da Cavas do Vale é excelente, indiquei no post de vinhos do mês de janeiro) ou um Sauvigon Blanc, que possuem boa acidez para limpar o paladar e boa doçura, o da Pizzato também é uma ótima pedida.


Dica final:

Se você precisasse escolher um vinho para todos esses queijos, qual seria?

Eu iria sem medo em um espumante pelo método charmat. A acidez e o equilíbrio do espumante conferem uma boa harmonização para todas essas opções e esse método resulta em um espumante mais leve e refrescante.

O espumante é um coringa nas harmonizações e agrada quase todos os gostos.


Por fim, como calcular a quantidade de vinho por convidado?

Normalmente uma garrafa para cada duas pessoas para quem gosta de beber. Mas obviamente vai depender do apetite de cada um :)


Coloco aqui algumas sugestões mas vale o que for do seu gosto, o importante é experimentar e encontrar a sua melhor combinação.


Agora me conte, qual sua combinação de queijos e vinhos favorita?


#Saúde!


Obs: Muitas das dicas acima obtive do livro Comida e Vinho - Harmonização essencial que indiquei no post Top 5 livros sobre vinhos.







82 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo