Principais dúvidas no mundo do vinho!

Olá pessoal!

Hoje neste post, irei responder as principais dúvidas que recebo sobre o mundo do vinho.


Por que devo guardar as garrafas deitadas?

As garrafas de vinhos que são ideais para serem guardadas deitadas são as com rolha de cortiça. Quando o vinho está na posição horizontal, a rolha permanece úmida e também há a micro passagem de ar para o vinho (chamada de micro oxigenação) fazendo com que o vinho possa continuar evoluindo dentro da garrafa.

Já para os outros tipos de vedação, como screw cap, rolha de vidro e rolha sintética, esse processo não acontece e você pode guardar na posição vertical.


O que é melhor, rolha ou screw cap (tampa de rosca)?

Não existe necessariamente um tipo de vedação melhor, apesar de a grande maioria das pessoas preferirem a rolha de cortiça natural.

Essa "preferência" vem pelo fato de a rolha de cortiça ser utilizada há muitas e muitas décadas, porém na minha opinião, elas de fato fazem sentido quando o vinho ainda tem um certo tempo de guarda e você poderá mantê-lo alguns anos na sua adega, caso contrário os outros tipos de vedação atendem e muitas vezes são até mais fáceis de manusear, como no caso da rolha de rosca.

Outra vantagem também é que este tipo de vedação não corre o risco de ser atacada por fungos (no caso da rolha de cortiça) e causar eventuais problemas no vinho, podendo até estraga-lo.


Eu preciso comprar um decanter para ser um consumidor de vinho?

Não!

O decanter serve para acelerar a oxigenação do vinho e decantar eventuais sedimentos. Não é um objeto que você irá utilizar em todos os vinhos que for tomar. Além de ser utilizado em 99% da vezes para vinhos tintos.

A taça também funciona como um decanter, a diferença é que a superfície de contato é menor que a do decanter e você pode utilizar ela para oxigenar seu vinho e ir degustando bem devagar, avaliando a evolução do vinho em taça.


Qual a diferença entre vinhos finos e vinhos de mesa?

Os vinhos finos são feitos de uvas do tipo Vitis vinifera, como Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec e Chardonnay. Já os vinhos de mesa, são feitos das chamadas uvas americanas (Vitis Labrusca), mais adequadas para fazer sucos, uvas passas e para o consumo direto. Exemplos de uvas americanas são Isabel, Bordeaux, Niagara, etc.


Antes de beber o vinho, devo cheirá-lo?

Mas é claro!

Muita gente acha que é frescura cheirar o vinho antes de degustar, mas não se engane, é uma das partes mais proveitosas de poder apreciar o vinho e não tenha vergonha!

Já imaginou saborear uma bela picanha sem sentir o cheiro antes? Ou um belo café sendo passado pela manhã sem aromas? Não tem a menor graça, não é? O mesmo serve para o vinho.

O aroma diz muito sobre a origem do vinho: se o vinho é jovem tem, sobretudo, o aroma das uvas, naturalmente transformado e intensificado pela fermentação; se passa por barricas de carvalho, conferindo aromas como couro, tabaco, chocolate, entre outros.


Vinhos varietais são melhores que os blends?

Não!

Apenas são propostas diferentes.

Considero os vinhos varietais (vinhos feitos a partir de uma só uva) a expressão do terroir! Tudo o que aquela terra pode se expressar através da uva e consequentemente o vinho.

Já provou um Cabernet Sauvignon Brasileiro e um Chileno, por exemplo? Faça esse teste e depois me conte! Com certeza você conseguirá identificar várias diferenças entre eles.

Já nos blends (também conhecidos como vinhos de corte ou assemblage) considero que seja a "mão do enólogo". É o resultado da ideia e concepção do que o enólogo quis fazer com aquele vinho. Existem blends maravilhosos no mundo do vinho, os Portugueses que o digam, são mestres nos cortes!


Eu vou ficando por aqui, para saber mais é só me seguir lá no Instagram @casahessel_vinhos.

Se eu não respondi sua pergunta, é só colocar nos comentários que eu respondo!


Espero que tenham gostado!

E não se esqueça, nunca deixe de EXPERIMENTAR!


Cheers!

Camila Hessel







21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo